ASSUNTOS RELACIONADOS À AUTOMÓVEIS E CAMINHÕES

quarta-feira, 28 de maio de 2014

VEJA A FINALIDADE DO FILTRO DE AR DO MOTOR DE SEU VEÍCULO


O PERÍODO DE TROCA DO FILTRO DE AR DEPENDE DA LOCALIDADE ONDE O VEÍCULO TRAFEGA, SENDO NECESSÁRIO INSPEÇÃO PERIÓDICA PARA DERMINAR A NECESSIDADE DE SUBSTITUIÇÃO.

segunda-feira, 10 de março de 2014

O QUE FAZ O CATALISADOR NO ESCAPAMENTO DOS VEÍCULOS.

O catalisador em conjunto com o sistema de injeção e ignição eletrônica promove a redução dos gases nocivos, através de dois processos químicos oxidação e redução.
 Para o correto funcionamento do catalisador, o sistema de injeção deve fazer com que  o motor opere com uma mistura ar/combustível próxima da estequiométrica, com variações repetitivas.

ESSE VÍDEO EXEMPLIFICA O CATALISADOR EM OPERAÇÃO.



O catalizador utilizado hoje em dia, realiza dois processo, redução e oxidação dos gases nocivos, para seu correto funcionamento é necessário é necessário que a mistura varie entre rica e pobre em uma determinada frequência, isso é possível devido ao gerenciamento eletrônico e controle do resultado da combustão através do sensor de oxigênio. Durante o aquecimento do motor a mistura deve ser mais rica, sendo desprezado o sinal do sensor de oxigênio. isso promove maior formação de HC, além de danificar o catalizador, alguns sistemas é utilizado um injetor de ar nos gases de escape. O sistema é denominado AIR (Secondary Air Injection System). Motores de maiores desempenho geram altas temperaturas na câmara isso provoca a oxidação do nitrogênio a índices não aceitáveis, para solucionar tal problema é utilizado a seguinte estratégia; uma válvula denominada EGR (Exhaust Gas Recirculation)promove a recirculação dos gases de decape, esses gases acabam tomando o espaço do cilindro de uma nova mistura, como não são novamente queimados isso gera menores pressões diminuindo a formação de NOx. Veículos a gasolina ou flex devem possuir um filtro de carvão ativado que evita que vapores formados no interior do tanque sejam lançados para a atmosfera, os vapores são retidos no interior do filtro são queimados em regimes de carga e rotação que não influenciem negativamente no funcionamento do motor. Esse sistema é denominado EVAP (Evaporative Emissions Syste).

COMO FUNCIONA O SISTEMA DE INJEÇÃO E INGNIÇÃO ELETRÔNICA; QUAL A FINALIDADES.

Ao longo dos dos anos se vem reduzindo as emissões emitidas pelos veículos movidos por motores a combustão interna, para ser atingida as mentas estipuladas pelos órgãos de controle do meio ambiente, a industria automobilística foi obrigada à utilizar a eletrônica para o funcionamento do motor  e monitoramento das emissões do mesmo.

ESSE VÍDEO PRODUZIDO PELA SETE EXEMPLIFICA O OS GASES, ÍNDICES ESTIPULADO BEM COMO O FUNCIONAMENTO BÁSICO DO FUNCIONAMENTO DO SISTEMA.


quarta-feira, 10 de outubro de 2012

A IMPORTÂNCIA DA MANUTEÇÃO AUTOMOTIVA.

O presente artigo tem como finalidade levantar dados relativos às consequências de não se realizar a devida manutenção veicular, tanto por usuários como  frotistas, objetivando conscientizar a importância bem como exemplificar de forma genérica as características da manutenção dos sistemas do veículo, dando ênfase nas vantagens e segurança de  executar a manutenção conforme o plano de manutenção do veículo especificado pelo fabricante.
O veículo quando novo possui todos os componente em perfeito estado de funcionamento tendo suas medidas e folgas pré-estabelecidas pelo fabricante, com o uso os componentes sofrem desgastes, contaminações química e influências física; tudo isso é previsto pelo fabricante, que desenvolve um plano de manutenção para inspecionar, e reparar as avarias.
Algumas manutenções e vistorias ficam a cargo do proprietário. Para facilitar o check-up e manutenções é desenvolvido e disponibilizado, ao proprietário e técnicos de reparação, manuais. O usuário recebe o manual do proprietário onde estão as informações pertinentes ao uso do veículo. Já os técnicos de manutenção devem recebem o manual técnico de reparação de todos os sistemas do veículo.
A correta manutenção influencia na segurança e confiabilidade do veículo, devido a esse fato é recomendado realizar manutenção preventiva para reduzir ou evitar falhas ou queda no desempenho, tais manutenções são obtida por um planejamento baseado em Intervalos de tempo definido ou quilometragem percorrida.
Muitos proprietários utilizam a prática da manutenção corretiva, sendo esta, a ação de correção de falhas ou menor desempenho evidenciados, essa prática envolve muitos riscos de acidentes, e maior prejuízos.
No intuito de orientar os proprietários e frotistas, nesse artigo serão abordadas as principais observações e manutenções dos veículos movidos por motores de combustão interna.

2 Referencial teórico
Conforme informações disponibilizadas pela concessionária de pedágio Ecovia, no período de dez dias, entre 17 e 27 de dezembro, foram contabilizados 800 (oitocentos) veículos que quebraram nas BR-277 e nas PRs 407 e 508, que levam às praias, três por hora. A maioria dos problemas poderia ter sido facilmente resolvida antes da viagem, se a revisão tivesse sido feita.
Com o objetivo de minimizar o tráfego de veículos sem condições de uso o Código Brasileiro de Trânsito estabelece que o motorista que for flagrado conduzindo com equipamentos obrigatórios dos veículos inoperantes ou ineficientes será autuado. O valor da multa é de R$ 127,00 e ele perde cinco pontos na carteira de habilitação – trata-se de infração grave. Em alguns casos poderá também ocorrer a apreensão do veículo.
Os veículos são constituídos por diversos sistemas, com características específicas para cada veículo, para a aprovação da inspeção de segurança prevista no art. 104 do Código de Trânsito Brasileiro é exigência obrigatória para o licenciamento de veículo automotor, a inspeção técnica dos veículos, que tem por objetivo inspecionar e atestar as reais condições dos itens de segurança da frota em circulação e será executada conforme o disposto nesta resolução e seus anexos, observadas, ainda, as normas estabelecidas pela ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas estabelecidas pelo Código de Trânsito Brasileiro – CTB conforme Decreto nº 2.327, de 23 de setembro de 1997, que trata da coordenação do Sistema Nacional de Trânsito, de competência do CONSELHO NACIONAL DE TRÂNSITO – CONTRAN, conforme art. 12 da Lei nº 9.503, de 23 de setembro de 1997.

Os itens checados na inspeção técnica veicular conforme Art. 2º são:

       I - Identificação do veículo: Autenticidade da identificação e de sua documentação; legitimidade da propriedade; preservação das características de fábrica dos veículos e seus agregados.

 II - Equipamentos obrigatórios e proibidos, constantes do Anexo I:

  III - Sistema de sinalização: lanternas; luzes intermitentes de advertência; retro-refletores;

  IV - Sistema de iluminação: faróis principais; faróis auxiliares; lanterna de iluminação de placa traseira; luzes do painel;

  V - Sistema de freios: freios de serviço; freios de estacionamento; comandos; servofreio; reservatório do líquido de freio; reservatório de ar/vácuo; circuito de freio; discos, tambores, pratos e componentes;

  VI - Sistema de direção: alinhamento de rodas; volante e coluna; funcionamento; mecanismo, barras e braços; articulações; servodireção hidráulica ou elétrica; amortecedor de direção;

  VII - Sistema de eixo e suspensão: funcionamento da suspensão; eixos; elementos elásticos; elemento de articulação; elemento de regulagem;

  VIII - Pneus e rodas: desgaste da banda de rodagem; tamanho e tipo dos pneus; simetria dos pneus e rodas; estado geral dos pneus; estado geral das rodas ou aros desmontáveis;

  IX - Sistemas de componentes complementares: portas e tampas; vidros e janelas; bancos; alimentação de combustível; estado geral da carroçaria; chassi e estrutura do veículo.

Segundo o Sindirepa-PR (Sindicatos da Indústria de Reparação de Veículos e Acessórios) “ com a manutenção preventiva a sociedade brasileira ganha com veículos mais seguros, confiáveis e menos poluentes, o que influi na qualidade de vida de todos nós.”  Além de que o proprietário  gasta menos e de forma programada. Hoje a inspeção veicular só ocorre de fato nos grandes centros. A inspeção veicular não pode ser vista por parte dos usuários como uma obrigação imposta, mas sim como um investimento que minimiza a depreciação do veículo, meio ambiente e veículo confiavel.
(VÍDEO AUTO ESPORTE)



 
3 Particularidades e manutenções dos principais sistemas

É recomendado aos motoristas que antes da utilização do veículo, que seja realizada uma inspeção visual: níveis de fluído, água, óleo e observar a normalidade das luzes, indicadores do painel de instrumentos limpador do para-brisa.
Pneus: Para se obter dos pneus os melhores resultados em termos de aderência, duração e segurança é fundamental que eles sejam adequadamente utilizados. Neste particular, observar a seguinte recomendação:
A pressão de enchimento deve ser aquela indicada pelo fabricante do veículo e do pneu. O seu controle deve ser feito pelo menos uma vez por semana, com os pneus sempre frios porque os mesmos se aquecem durante o rodar e o calor provoca o aumento da pressão inicial. Utilizar nesta operação um calibrador devidamente aferido e não esquecer o estepe.
A pressão correta proporciona ao pneu um apoio perfeito no solo e desta forma a banda de rodagem apresenta um desgaste normal.
Quando a pressão é insuficiente, o pneu tende a se apoiar mais nas laterais da banda de rodagem e estas se desgastam prematuramente. Além disso, deformação do pneu torna-se muito acentuado, contribuindo para uma maior geração de calor, o que prejudica a estrutura do pneu e aumenta consideravelmente o consumo.
 
Nas revisões deve ser realizado o rodízio para que haja um desgaste uniforme.

 Em Irregularidades no desgaste do pneu é indica a necessidade de manutenção, (conferência da geometria da direção) e substituição de componentes se necessário.
Sistema de suspensão: Tem como finalidade absorver ao máximo os impactos das irregularidades do solo não transmitindo para a carroceria do veículo, contribuindo para o conforto. Ao manter o pneu com maior contato com o solo devido à redução das oscilações das molas, contribuindo dessa forma para a estabilidade do veículo.

 
Para veículos convencionais os principais componentes que contribuem para a suspensão são: pneu, amortecedores molas barra estabilizadora, braços oscilantes.
Os usuários devem atentar para algumas anormalidades que possam ocorrer, tais como: instabilidade, vibrações e ruídos. Mesmo que não apresente tais sintomas, de forma preventiva devem-se checar as condições dos itens e substituir, se necessário.
Direção: veículos com direção servoassistida hidraulicamente deve ser conferido o nível do fluido da direção, e da mesma forma que na suspenção, atentar para ruídos direção puxando para um dos lados, direção pesada, folgas, vibrações e instabilidade; na presença de algum sintoma citado, deve-se buscar assistência técnica.
Sistema de freio: Os sistemas de freio são dois - freio de estacionamento - deverá manter o veículo parado mesmo em aclive ou declive acentuado; - freio de serviço ou marcha - quando o veículo em movimento, utilizado para reduzir a velocidade ou pará-lo.
 
O usuário deverá conferir e corrigir, se necessário, o nível do fluido de freio, e quando sentir alguma anormalidade entre os períodos de manutenção, tais como: ruído, pedal duro, volante puxando ao acionar o freio, maior distância de frenagem, ou instabilidade ao acionar o freio, são indícios da necessidade de manutenção  especializada.
Sistema de transmissão: Os componentes que fazem parte desse sistema são robustos e requerem pouca manutenção, porém de forma genérica deve-se conferir e substituir os fluídos, checagem do estado das coifas das homocinéticas e atentar quanto a ruídos e dificuldade de engate das marchas, a reparação imediata   possível  evitar prejuízos.
Motor: Os principais problemas relativos ao motor de combustão interna são vazamentos, ruídos, fumaça, falhas, perda de desempenho e consequente baixa autonomia, são exemplos de sintomas que indicam a necessidade de manutenção.


No decorrer da vida útil do motor devem-se realizar as manutenções necessárias nos diversos sistemas do motor: alimentação, ignição, lubrificação, arrefecimento, e exaustão. Tendo como mais relevante a conferência e troca do óleo e líquido de arrefecimento, regulagens, substituição de componentes como, por exemplo, motores que possuem correia dentada, se não for substituída sua ruptura danificará o motor, provocando  prejuízos.
Combustível: É fundamental observar as procedências, qualidade e especificações do combustível dentro dos padrões aceitáveis recomendado pelo fabricante, isso evita problemas, como: entupimento, travamento, corrosão, entre outros problemas no sistema de alimentação.
Sistemas elétrico e eletrônico: Os veículos atuais são possuem diversos sistemas eletrônicos responsáveis pelo controle e monitoramento de sistemas elétrico e mecânico tais como: motor, caixa de mudanças, controle de tração sistema de freio, suspensão, climatização, sinalização, iluminação, airbag. A eletrônica veio à otimizar os sistemas, facilitando o diagnóstico de defeitos devido ao autodiagnostico que os sistemas atuais executam e memorizam eventuais avarias.
Conclusão
Atualmente, cerca de 40 mil pessoas morrem por ano em acidentes de carros no País, considerando que 27 % são causados por falta de manutenção, além dos transtornos e prejuízos causados por interrupção de viagens. As medidas adotadas pelas autoridades para minimizar tal problema são multas e as inspeções veiculares. A conscientização da população é mais importante, pois o custo da manutenção preventiva de seu veículo é revertida em confiabilidade, segurança e valorização do  patrimônio.

segunda-feira, 23 de julho de 2012

QUAIS AS MANUTENÇÕES NECESSÁRIAS NO SISTEMA DE AR CONDICIONADO?

O sistema de ar condicionado tem baixa manutenção, porem é necessário que se faça uma higienização do sistema e substituição do filtro anti-polen quando presente no veículo.
Há veículos que possuem apenas sistema de aeração, nesse caso não há variação de temperatura do ar, apenas variação da velocidade e comando na direção do ar.
Há veículos que possui ar quente. Nesse caso é utilizado o calor do motor para aquecer o ar do interior do veículo esse sistema é denominado sistema de calefação.
O sistema de ar condicionado tem a função de transferir o calor do interior do veículo para o exterior, o ar pode circular apenas no interior ou ser renovado com ar exterior, nessa condição de funcionamento ser não houver filtro de cabine, impurezas do exterior acabará contaminando o interior do veículo.
VÍDEO (MANN FILTER)

O fato de possuir filtros de cabine, não significa que os ocupantes do veículo estão a salvo. Se não for trocado e feito uma higienização adequada no sistema, pode ter um efeito pior do que se não tivesse, devido à contaminação e proliferação de bactérias. Esse item não tem prazo ou quilometragens preestabelecida para substituição pois, depende da via onde se trafega com o veículo.
MATÉRIA DO (AUTO ESPORTE)

ASSUNTOS RELACIONADOS ATRAVÉS DO LINK AR CONDICIONADO.